GUIA COMERCIAL

Alimentação

mastigação adequada ajuda o corpo a absorver melhor os nutrientes e inibe o consumo excessivo de comida Você costuma comer hambúrguer, cachorro quente e salgados? O problema desses alimentos não é apenas o excesso de calorias e gordura, mas também o fato de serem ingeridos na pressa, muitas vezes em pé ou até mesmo no carro. E o modo como se come pode ser tão prejudicial para a saúde quanto o que se come, alertam especialistas. Comer sem pressa, sentado, aproveitando o momento, faz uma grande diferença para o organismo. Apesar de ser difícil fazer uma pausa na correria do dia a dia, se você se permitir ao menos uma hora de sossego no almoço, isso já faz maravilhas para desestressar e recarregar as energias. Sem contar que, quando se come sem pressa, é possível saborear e aproveitar melhor os alimentos. E não é só: comer lentamente também pode ajudar até mesmo a emagrecer. Em todo o processo da alimentação, a mastigação tem um papel crucial. “A digestão inicia na boca, onde os alimentos são misturados a enzimas presentes na saliva. A mastigação, a sensação do sabor dos alimentos tem papel na saciedade e participa da regulação do apetite, porque existem conexões neurais entre os receptores de sabor presentes na língua e no tubo digestivo e as regiões que regulam o equilíbrio energético (calórico) no cérebro”, explica Márcio Mancini, chefe do grupo de obesidade do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo). Mastigando para emagrecer Mastigar adequadamente é também um grande aliado para a perda de peso. Um dos principais motivos é simplesmente que, quando se come lentamente, come-se menos. A explicação para isso é que mastigar várias vezes e em ritmo lento contribui para que o organismo sinta-se saciado com a ingestão de uma quantidade menor de comida. A mastigação lenta proporciona uma comunicação efetiva entre estômago e cérebro, fazendo com que haja maior liberação de hormônios de saciedade e também um aumento da percepção de quando se está realmente satisfeito. Com isso, há uma menor ingestão de alimentos durante a refeição e, consequentemente, o controle do peso. “Quanto mais tempo na mastigação o alimento ficar na cavidade oral é melhor, porque a movimentação dos músculos envolvidos no processo de mastigação é o inicio da sinalização para os núcleos hipotalâmicos para a saciedade”, explica Ribas Filho. “O nosso organismo leva cerca de 15 a 20 minutos para avisar o cérebro de que está saciado”, aponta Bruna Chagas Petrungaro, nutricionista do Centro Estético Naka. Ao comer muito rápido, mastigando pouco e engolindo o alimento mal triturado, o ponto de saciedade se dará de modo errado. O estômago fica dilatado e com sobrecarga de comida, além do fato que a quantidade de calorias consumidas se torna muito maior do que a necessária. “Uma boa dica é iniciar a refeição com um prato de salada. Enquanto mastiga lentamente as verduras e legumes, ganha tempo para que a mensagem de saciedade chegue ao cérebro e reduz a chance de repetir o prato quente”, afirma a nutricionista.

Notícias Recentes

Operação Cata Bagulho

Operação Cata Bagulho

Urbanismo divulga programação da Operação Cata Bagulho

Saúde

Saúde

Prefeitura de Indaiatuba inicia mutirão de cirurgias de laqueadura e vasectomia

Trânsito

Trânsito

Palestra Harmonia no Trânsito abre oficialmente a Semana do Trânsito em Indaiatuba

Centro de Artes

Centro de Artes

Prefeitura inaugura Centro de Artes e Esportes Unificados no dia 28 de setembro

Festival de Rock

Festival de Rock

Inscrições para 15ª edição do Festival de Rock seguem até o dia 29

Esportes

Esportes

Aulas de Beisebol serão no Campo do Jardim São Conrado